Cobranças e pressões

Talvez a maior dificuldade do ser humano seja em lidar com aquilo que não se sabe, ou se sabe menos do que outro.

Nós sentimos angústias frente a alguém que sabe mais do que nós (lembrem-se, somos seres competitivos e incentivados a competir). Nos perguntamos onde erramos e como fazer para acertar.

A nossa “querida e amada” sociedade não lida bem com quem erra. Do riso ao deboche, até a vaia há um longo caminho de subjetivações e cobranças de acertos e perfeições, que nos faz, exageradamente falando ou não, querer cometer suicídios.

É meus caros, “suicídioS” no plural, porque a cada não tentativa (por medo de errar) suicidamos nossos sonhos, desejos, e nos suicidamos pra vida…

Não, não condeno quem sucumbe às pressões, em vários aspectos fazemos isso todos os dias, e não poderia condenar alguém por isso, pois estaria me condenando também. Isso tudo é apenas uma constatação da vida real, dura, fria e intolerante.

O mais hipócrita é que mesmo quem erra e sucumbe a essas pressões, não aceita o erro do outro. Eu erro, eu cobro, você que está lendo, também erra e aponta o erro alheio… de preferência como se sua vida fosse perfeita.

Não sabemos de tudo, nem devemos tentar saber tudo. Nossa sociedade cobra, é difícil não cobrar o outro e se auto-cobrar.

Somos balões cheios e apertados. Até quando conseguiremos viver assim? Estamos eternamente crianças que não lidam bem com frustrações, ou ainda (E MUITO PIOR) adultizamos as crianças e a nós mesmos tão cedo a não errar que estamos assim?

Não sei se somos adultos que não sabem lidar com erro, ou crianças que não podem errar.

Estamos matando a experiência a partir do erro, ou suicidando, como queiram… nós não podemos mais errar e como isso é triste e deprimente e “ansiador” de muitas coisas… iremos para o túmulo podendo dizer “errei mas aprendi”, ou “sou muito foda, não errei, mas não sei bem o que fiz”???

Não, meus textos não são propositivos (exceto os políticos), só reflexivos… não sei como lidar com isso tudo também… é sofrido, é dolorido demais…

Até mais…

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

O primeiro post

Olá!

 

Esse é meu primeiro post neste blog. Mas o que quero aqui? ESCREVER, escrever muito… pretendo escrever ao menos uma vez por semana, com ou sem gírias, com ou sem abreviações típicas de internet. Espero que quem acompanhar o blog goste bastante.

Críticas, comentários? Fiquem bem a vontade, este espaço é pra isso… ahhh antes que venha algum machista, homofóbico, racista, ou seja, um coxinha… nem adianta, este blog NÃO É PRA VOCÊ!!!

Sem mais, no mais, sejam muito bem-vindos

Há braços coletivos

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Ano de Conferências de Saúde

Este post acho que será um dos mais políticos que já me propus a escrever. Estamos em ano de Conferencia de Saúde. Vocês têm noção do quanto isso importante? Não é só pela temática “O SUS é para Todos” (que mais tarde falarei a importância desse ser o tema principal), mas por todo contexto de interesses políticos, econômicos (intimamente atrelados) que há em torno da saúde. Novamente me afasto um pouco (ou nem tanto assim) da especificidade da Saúde Mental. Falo da Saúde em grandes âmbitos, como processo de Educação, como processo de participação pública, como processo de crescimento de políticas sociais efetivas. Literalmente é a Copa do Mundo da Saúde (pq sim, acontece a cada 4 anos). Começarei por esse comparativo de Conferência de Saúde ser “a Copa do Mundo” da saúde.

 

Nos âmbitos de disputa assim como um “Brasil x Argentina” há a disputa “Público x Privado (que merece um a parte); disputa por categoriuas de usuários, trabalhadores e gestores. Na real esse post poderá acabar ficando longo e muito provavelmente confuso. Então vou optar por subdividir em diversos itens, talvez pra simplificar, sei lá… acho q até pra eu entender.

 

Vamos pelos aspectos mais simples primeiro: vc deve estar se perguntando “por que diabos eu deveria saber de conferencias de saúde?” Politicamente (q pra muitos é um aspecto chato pra caralho) é muito importante porque vc utiliza o SUS, mesmo achando que não. “Eu tenho Unimed, não preciso do SUS”. Engano seu… cada vez que vc vai num restaurante, cada vez que vc usa a tal da Unimed… vc ta utilizando-se do SUS. Sabe qd vc compra num supermercado?? Pois é vc utilizou o SUS se vc tem as vacinas em dia… vc utilizou-se do SUS.

 

O SUS tem vários serviços. Sabe pq eu citei restaurante e supermercado? Pq existe algo fantástico chamado de Vigilância Sanitária. Ééééé o restaurante e o supermercado só podem funcionar com alvará de vigilância sanitária, que coloca VC cliente desses lugaresem segurança. Asegurança de vc não comer algo q vá lhe fazer mal, ou de que vc não vai encontrar uma barata no seu alimento, entre outras coisas…

E sabe a tal da Unimed?? Pois é ela entra numa coisa chamada “serviço complementar” ao SUS. Ele é prioritariamente para serviços de alta complexidade e ambulatórios já que o SUS tem como prioridade (ou DEVERIA) a baixa complexidade, atenção primária, serviços de promoção da saude e prevenção de doenças. Vc acha a Unimed, Golden Cross, etc bons?? Só são bons pq há uma REGULAMENTAÇÃO para o funcionamento delas. Olhem o documentário “Sicko” do Michael Moore e vcs entenderão o que uma falta de regulamentação faz num país que não tem um SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE.  E explicando, a alta complexidade… são serviços mais caros. Aí vc pensa… “ahh o SUS não da conta”, não dá num primeiro investimento, mas qd algum paciente precisa daquele serviço “DE GRAÇA” (não acho q o SUS seja d graça) o SUS “paga” esse serviço.

 

Aliás a contrapartida de existir serviços de alta complexidade nas alas privadas/convênios dentro de um hospital é o fato deles serem OBRIGADOS a darem, quando o SUS precisar, esse suporte. O que muitas vezes não é cumprido. Aliás, vou exemplificar como o SUS participa desse serviço.

Exemplo: Um hospital precisa de um aparelho ultra sofisticado para verificar doenças cardíacas. Os convênios entram com apenas 40% do investimento inicial e os outros 60 são via dinheiro publico (ou seja, SUS). Logo 60% dos pacientes deveriam ser atendidos via  US e 40% privados/convênios. Pergunta, isso acontece? Sua resposta provavelmente é não…. e de fato não acontece. É aí q VOCÊ, é vc q ta lendo o post entra… eleições?? Sim, mas participando de conselhos de saúde q servem para fiscalizar essas irregularidades. (outro a parte será dos conselhos) e pra propor coisas d interesse DA POPULAÇÃO… veja bem, da população, respeitando minorias, sem moralismos e afins…

 

2ª pergunta: Por que diabos eu deveria querer participar de uma conferencia de saúde? Porque é ali que são delineadas as linhas (por mais redundante q isso seja) de trabalho para o SUS para os próximos 4 anos (eis aí meu comparativo com a Copa do Mundo). 2007, 2011 e a próxima será só em 2015… o que teremos até lá?? Você pode impedir ou apoiar coisas muito importantes a nível nacional. Vc reclama da política mas não a faz acontecer… esse é o espaço de começar. E não me restrinjo às conferencias de saúde… mas qd tiver de Educação, Assistência Social, Segurança,etc…

 

3ª pergunta: Mas no meu município não vai ter conferencia… o que faço? Ou vc ta mentindo pra mim, ou então ela não esta sendo divulgada… ou pior ainda, ele realmente não fará a conferencia… No caso dela não estar sendo divulgada denuncie pra Conselho Regional ou Estadual de Saúde, pois a conferencia é publica. Se realmente seu município não fizer, bom, vc tbm deve denunciar pois sem conferencia ele não recebe uma determinada verba q se destina ao Controle Social.

 

4ª pergunta: “Por que a temática é “O SUS é para todos”?” Aí, entraremos naquilo que eu havia falado entre “Brasil x Argentina” e Publico x Privado. E, além disso, entraremos nas diversas questões, mas vou primeiramente me focar nesse aspecto Publico x Privado.

Sabem as OSCIPs (Organizações da Sociedade Civil de Interesse “Publico”)???  Elas vieram pra substituir as ONGs só q para um fim maior… administrar o dinheiro público… o que isso pode acarretar? Muito mais desvios, voltaremos às Caixas, onde só quem trabalha tem direito a ter consultas. Dêem uma olhada no Videozinho da Fiocruz “A Historia da saúde Publica” meuuu la vc vai entender o q acontecerá. Não tem emprego, e não tem uma Caixa… já era, vc não se consultará.

Como se dará esse processo? De forma gradual, óbvio. Discurso de melhoria do repasse do dinheiro, discursos confusos q parecem mto interessantes aos ouvidos até d qm milita. Se as OSCIPs administrarem, logo elas ditarão as regras de qm vai usar e só vai usar qm der dinheiro. Por mais impossível q isso possa parecer, é assim q vai ser é só ler.

 

A questão é que tem muita gente apoiando essas OSCIPs pq a mídia (PIG)  está sempre apoiando o interesse privado, afinal a PIG sempre tem uma fatia desse interesse privado. Pq eles vem com um discurso q sim, dá pra confundir. É importante estar atento.

 

Sendo assim, o tema é “O SUS é para TODOS” justamente pq se as OSCIPs tomarem conta, não será mais de todos e o princípio da universalidade cairá por terra e o da Equidade tbm. Espero q tenha ficado claro.

 

5ª pergunta: Achei essa discussão sobre OSCIPs muito difícil O q mais será discutido na Conferência? Sim a discussão sobre as OSCIPs são complicadas, eu confesso q não participarei delas justamente porque fogem ao meu alcance. Serão discutidos a formação, o trabalho, o direito do usuário, entre outras mesas… ahh sim, com a aprovação da #uniaohomoafetiva provavelmente q esse tema entrará em foco tbm.

Esse post é, na verdade, um chamamento para a o processo de democracia mais direta possível q o Brasil tem… chamo e clamo pela saúde porque trabalho com isso. Chamo para esse processo (estressante sim), de disputa sim, mas que faz parte de tudo que somos e fazemos na sociedade.

 

Não falarei de eleições de Delegados, nem nada, se vc participar vai entender por si só (até pq la é explicado).

 

E qualquer coisa mandem e-mail: dezinha_noronha@yahoo.com.br

 

Há braços coletivos e até as Conferencias de Saúde

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

INSONIA x POEMAS

É engraçado o quanto tem sido dificil pra eu dormir a noite… passo o dia com sono e chega a noite simplesmente nao tenho sono… foda…

Faz muito tempo que penso em escrever no blog algo de bom… entao lá vai

e sim é pra ti Greice…

Não assim (04/04/2011)

Não te amo enlouquecidamente
Pois é na razão de te amar que tudo está são
Te amo nessa sanidade
Onde teus braços equilibram meu humor
Onde meu vício torna-se teu cheiro
Onde alucino nos teus toques
Onde me alegro no teu sorriso
Onde me acalmo no teu carinho
Onde tenho meus delírios mais reais

Mas não te amo enlouquecidamente,
Pois tenho, do amor, todos os sintomas psiquiátricos
Rio e choro contigo
Tenho verdadeiras “fissuras” quando longe estás
Surto ao cair na realidade fora do nosso mundo
Deprimo quando choras
Alucinações visuais e sensitivas

Mas não te amo enlouquecidamente
Loucura seria não estar te amando
És meu anti-psicótico perfeito
Contra as loucuras e injustiças do mundo
És meu benzodiazepínico
Dormir, torna-se tão fácil
Diante da minha rotineira insônia
E nas angústias e ânsias
Que meus dias assolam
És meu ansiolítico

Mas não te amo enlouquecidamente
Apenas te amo porque és isso: namorada
É… assim escrevo…
No auge de um episódio de insônia
Apenas pra avisar a falta que fazes
Pois nada tão real quanto nossas vidas
Atravessadas e cruzadas e paralelas…
Onde há sempre esse espaço de sanidade;
Não seria justo, assim, te amar enlouquecidamente”

Pra acompanhar essa leitura, pela primeira vez coloco uma música junto ao post… e mais brega impossível… do tempo das Boybands… Boyzone – No Matter What (sugiro q procurem a letra ou traduçao e entenderao pq a escolhi)
Boyzone – No Matter What

Há braços coletivos

Publicado em Sem categoria | 2 Comentários

FIlmes filmes e mais filmes

Já começo explicando que não, não é um post sobre filmes ou algo do gênero! É só meus comentários sobre o filme “As melhores coisas do mundo” e todo em torno que estava comigo.

Olhei o filme com pessoas conservadoras… foi foda… com excessao do meu irmão… foi foda…

Mas vamos aos comentários
1º) Medo de terminar como o pai do garoto: juro que às vezes penso que o que acontece com os pais dos personagens principais pode vir a acontecer comigo… passar vivendo uma vida d mentiras pra num fim descobrir exatamente isso: que vivi numa mentira…
2º) Escola: a escola é uma produtora de doenças da sociedade… a intolerância o não aceite de diferenças… se pararmos pra pensar… quem nunca, mesmo sem querer já não foi filho da puta com alguém muito próximo?? Eu já fui e admito isso… é foda, confesso que isso perturba meu sono às vezes… mas confesso também que já foram muito filhos da puta comigo também…
3º) Adolescentes cruéis? : essa pergunta se faz pertinente após ouvir uma homofóbica falar pra mim isso ao final do filme. Os Adolescentes cruéis?? Talvez sim, mas só são cruéis porque foram criados nesse meio PODRE, porco, conservador que não aceita nada que saia de suas “caixinhas” de “normais” da sociedade. A adolescência por si só já é complicada, mudança de hormônios, o primeiro fora, a primeira transa…. o primeiro “não” para os pais… o primeiro “tapa na cara” da vida…. a 1ª tentativa de alguma afirmação do “quem sou eu” para o mundo… tudo está mudando e é dificil aí mais a pressão do mundo que quer te exigir como adulto mas te dá apenas direitos de criança…
4º) Sociedade: nossa essa é a mais podre… onde tudo gira em torno do dinheiro e moralismo… que merda é essa em que “nossa não posso ter ninguém perto de mim homossexual?”. Há uma passagem no filme em que o personagem diz “se fosse o pai dos outros…” e por que diabos é assim? Sempre tem um porém… SEMPRE… é sempre aqueles exemplos clássicos de “eu até aceito, mas meu filho não…” Desculpe-me, pra mim isso não vale nada! Seja como o Bolsonaro então q pelo menos segue uma mesma linha de pensamento… é meio radical isso, mas enfim…

Tenho poucas certezas na minha vida… mas uma dessas poucas é q tenho mto medo de reproduzir esses comportamentos idiotas e conservadores qd eu tiver filhos. Na real morro de medo da adolescência.

O comentário é breve mas essa convivência com conservadores me fez e me faz agir de maneira estúpida por vezes… e o qto mais próximo de nós o conservadorismo, mais difícil de derruba-lo.

No momento é isso que tenho a dizer…

Há braços coletivos p td mundo e…
Beijos pra Greice

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

RÓTULOS IMPLÍCITOS

Sim, terminou-se o carnaval… talvez ainda tenha o Enterro dos Ossos, mas já são quase 3h de quarta-feira de cinzas.

Comecei a pensar várias coisas a respeito do projeto de lei que a Martha Suplicy está a defender a respeito da homofobia ser crime.
Acho que em qualquer lugar que me conheçam, sabem que sou totalmente a favor do projeto… mas acho que o projeto ser aprovado… ok, beleza… mas e as “leis e rótulos implícitos”, quem os derruba ou aprova???

Falo nos implícitos pq esses são os mais difíceis de derrubar. Estava me lembrando o caso do cara q teve q sair do exercito por ter assumido que era gay. Não tem nenhum papel escrito as normas de se ser um soldado… nem tem nenhum (suposto) “art. 3.420” que diz que “pra ser soldado precisa, necessariamente ser heterossexual, homofóbico…” sendo assim, na minha opinião fica mais difícil de se derrubar determinados rótulos e leis implícitas. Se tivesse explicito isso, a lei derrubaria e pronto, seria crime ter qualquer ato homofóbico no quartel. Mas como não há nada no papel as coisas acontecerão como acontecem hj: por debaixo dos panos.

Talvez seja meio incoerente o que falei… a lei ajudará mto, mas em pontos muito específicos e explícitos (como os homossexuais q apanharam e os que foram mortos na Av. Paulista em Sampa).

Tenho muita fé (mesmo sendo ateísta) nesse proj de lei, mas tenho plena consciência d q a melhora dos padrões de comportamentos brasileiros e pra eles mudarem… só tem um caminho: EDUCAÇÃO. E não falo apenas em escolas… falo em tudo… acho inconcebível, professores e profissionais da saúde homofóbicos ou com algum tipo de preconceito.

Imagina pra cabeça das crianças que alem da mãe, tem um (a) professor(a) como pessoas q ele quer ser quando crescer, e justamente essas pessoas ensinam o que é “normal” ou não (principalmente nas aulas de Biologia). Eis que tu sai da aula pensando que sexo só é possível com o outro sexo e q o sai dali não é mto bem visto. Chega em casa, olha TV e na TV aparece noticias sobre para gay ou qualquer coisa do gênero e tu escuta “pronto, agora a viadagem vai tomar conta”.

A minha orientadora da graduação, a prof Dra. Hildegard Pohl sempre dizia que a criança nasce sem preconceitos… nós que inserimos certos costumes e comportamentos nelas. Lembro-me, de durante as orientações do TCC, que conversávamos mto sobre diversas coisas que permeavam meu trabalho. Eis que uma outra prof numa aula de Educação Física Escolar fazia praticas q me deixavam mto indignada. Quando tínhamos aulas praticas (entre nos colegas) sobre atividades que poderíamos fazer nas escolas, ela sempre dizia “quando fizermos um circulo, coluna ou fileira sempre intercalem menino-menina-menino-menina… nunca deixem menino-menino ou menina-menina só depois se sobrar”. Aquilo fervia meus olhos, mas na época eu era bolsista justamente dessa professora (faculdade particular nos faz passar por coisas quase incontáveis). Aonde qro chegar com tudo isso? É nessas coisas q lei nenhuma derruba que me preocupa. A lei ajuda um monte, mas essa professora não vai mudar a pratica dela. E o q é pior, meus colegas sempre elogiavam essa prof homofobica (sim pq não era só isso, era o q esse ensinamento gerava e as outras coisas q ela dizia q eu apaguei p não ter um câncer em plena facul) e criticavam a minha orientadora.

Imagina, só na Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) se formam algo em torno de 100 prof de Educação Física… qtos desses vão chegar nas escolas com pensamentos e comportamentos homofobicos, racistas, etc…??? É esse tipo de coisa q a lei não derruba logo de cara, infelizmente.

É estranho chegar num ensino superior e ver que as pessoas não são diferentes daquelas do 1º e 2ºgrau. E nem na Residência… e volto a dizer professores e profissionais da saúde deveriam fazer algum tipo d “teste psicológico anti-homofobico”. Que valores ensinam-se? Atender paciente com cara de “nossa que bicha/sapatao”. Ou chegar numa escola “ta chutando q nem viado”. PORRA que isso? Sério.

Ensinam os professores a serem preconceituosos e ensinam-se alunos a serem homofobicos ou q tenham qualquer tipo de preconceito. A lei é um grande passo, mas precisamos de mais professores Hildegard, Leony, Felipe, Miguel… hehehehehe sim meus colegas da facul com quem conversava horrores sobre varias coisas. Costumo a dizer que a Leony é uma hetero de verdade. Não ela nunca provou, mas é tão aberta que me sinto a vontade pra falar as coisas mais absurdas pra ela. O Felipe e o Miguel são meus homens amados, heteros tb, mas com uma compreensão “da coisa” fora do comum (não eles tb nunca provaram).

Acabei falando de coisas minhas, não pela minha vida ser uma tragédia mexicana, mas pra conseguir exemplificar as coisas.

Tentando fazer link com isso tudo que falei, acho que devo colocar que pra mim é inconcebível a idéia de alguém da causa LGBTT seja de direita. Aí vão vir dizer que “ahh mas tem os sociais democratas que aceitam”… eles aceitam pra ter um mercado a mais… eles não defendem a causa, eles apenas viram q estavam perdendo dinheiro não abrindo mercado pra galera LGBTT”, resumindo eles não apóiam a causa, eles apóiam o dinheiro. E embora eu tenha zilhões de críticas a Martha Suplicy… quem ta defendendo o projeto de lei? O PT… embora, dentro do PT tenham correntes mais conservadoras, é O PT que ta puxando isso e adivinhem quem ta tentando derrubar? PSDB e DEM. Acho que não preciso comentar mais nada né. E sim conheço gente da causa q é filiada e td no PSDB… inconcebível, na minha cabeça… ta eu sei q eu teria q ser mais flexível, mas com política, NÃO DÁ!!!

Não sei como fechar esse post, mas to sem mais nada a escrever.

Então, sendo assim termino aqui.

Há braços coletivos… e vamos lá…. Homofobia é crime… não há mais o q ser discutido. Quantos morreram por não ter algo explicito q os defendam.

Publicado em Sem categoria | Marcado com | 3 Comentários

Mudanças R1 >>> R2

Então… tempão… de tempão em tempão eu volto a escrever no blog.
É estranho… hj oficialmente meu primeiro dia no ambulatório infantil e no Centro de Atenção Psicossocial 2 (CAPS II)

Me bateu um medo fora do comum… uma crise de choro do nada… acho q apavorei as residentes do 1ºano… meu medo se deu pelo fato de eu estar me sentindo um balão cheio.

Difícil de entender… ???encha bem um balão… mas encha BEM MESMO… é assim q estou por dentro… agora imagine-se fazendo força pra estoura-lo… pois é assim q estou sentindo as pressões… já não bastam as internas… as externas estao me deixando louca.

E tem pessoas com um potencial de me deixarem mais tensas e pressionadas ainda… além das q eu já conheço, tem, lá no CAPS mais uma… porra a pressão nunca sessa…

Fui conversar com a minha chara da T.O. e ela por vezes parece psicóloga… não q isso seja um problema… mas sempre para num ponto em q ela me pergunta “e o qki tu acha?” eu nunca sei o q responder…eu me acho inadequada “mas qki tu acha q fez d inadequado?” eu não seiiiiiii… mas parece q as pessoas estao sempre me julgando… e juro isso ta acabando comigo.

Ta difícil organizar horários, ta difícil td… e sim, acho um saco pedir ajuda… acho o máximo ajudar, mas eu, Andreza, pedir ajuda é mto dolorido… parece q sou meio q “incapaz”… sei lá…isso me faz lembrar q se acontecer algo comigo e ficar paralisada, não sei se não pedirei eutanásia…. horrível né, mas já pensei nisso… mas voltando a crise…

Parece q as pessoas conduzem a conversa d maneira a fazer eu falar “nossa, tu me fez pensar e acho q….:
• sou inadequada
• devo sair da residência
• q não sirvo pra coisa”
na real eu não sei o que acho… nunca sei… Pq eu tenho q ter as respostas q as pessoas esperam?

Não achei q seria fácil, só não esperava q fosse tão difícil.

E porra… eu qria ter ficado no CAPSi (infância)…minha segunda opção era o CAPSad (álcool e drogas)… e chegar no CAPS II com a recepção “super calorosa” foi meio tragicômico… porra q parte do “sexta a tarde é meu turno de pesquisa” akela criatura não entendeu? Pq sempre eu q tenho q ceder… ninguém cede pra mim mas q porra!!! Eu não agüento mais ter q ceder… fazer as coisas do jeito q os outros querem e sempre abrir mão da minha parte… raramente bato pé… qd bato dizem q não sou flexível… ahh vá pra puta q pariu…

Enfim… crises a parte… era isso…

Publicado em Sem categoria | Marcado com | 1 Comentário